Saúde dos Idosos em tempos de pandemia deve ser motivo de atenção redobrada

Pacientes idosos devem receber atenção extra durante o isolamento. (Foto: CRM-PR)

Desde março de 2020, quando o vírus SARS-Cov-2 chegou ao país, a sociedade está enfrentando circunstâncias inusitadas: escolas fechadas, comércio em funcionamento parcial e restrições ao acesso de pessoas idosas à maior parte dos locais. A ordem “fique em casa”, no intuito de proteger a população e diminuir a velocidade de disseminação da Covid-19, levou grande parte dos idosos ao isolamento absoluto em domicílio, e passamos a observar a inversão da relação risco x benefício: a piora da saúde foi maior do que o risco de contrair Covid-19 saindo de casa.

A permanência prolongada em casa faz com que as pessoas se movimentem menos, deixem de caminhar, de se expôr ao sol, causando perda de massa muscular e prejudicando a circulação sanguínea. O resultado é piora da hipertensão arterial, do Diabetes, das doenças cardíacas. O número de infartos agudos do miocárdio e acidentes vasculares encefálicos (AVC) aumentou. A privação de contato social, dos estímulos cerebrais que as saídas de casa proporcionam, trouxe incremento dos transtornos neuropsiquiátricos: depressão, ansiedade, piora da memória, insônia.

“O que mais nos preocupa, como profissionais da área de saúde, é que devido ao medo de se contaminar com o Covid-19, as pessoas têm deixado de procurar atendimento médico quando apresentam sinais de descompensação, atrasando diagnóstico e tratamento, o que leva a quadros mais complicados e piores desfechos”, explica a presidente da SBGG-PR, Dra. Amanda Kampa Cassab. 

Com base nessas considerações, a SBGG-PR faz algumas orientações à população idosa para passarem pelo período de isolamento da melhor forma possível:

- Mantenha distanciamento social responsável:

Ao sair de casa, use máscara, tenha em mãos um frasco de álcool gel 70% para higienização das mãos repetidas vezes; ao retornar, retire os sapatos para entrar em casa, troque de roupa, tome um banho se preferir. Evite receber visitas que não sejam familiares próximos que também estejam protegidos.

- Mantenha a rotina de exercícios físicos: 

Seja em casa ou saindo para caminhadas ao sol, sempre em horários de pouco movimento, usando máscara e tomando os mesmos cuidados citados acima.

- Mantenha os tratamentos crônicos: 

Isso inclui as medicações contínuas, sessões de fisioterapia, fonoaudiologia, dieta. Tratamentos oncológicos (quimioterapia, radioterapia) e nefrológicos (hemodiálise) não devem ser interrompidos.

- Mantenha contato com seu médico: 

A maioria dos profissionais continua atendendo, seja à distância, seja em consultório, e podem dar as orientações mais adequadas a cada caso. 

- Procure atendimento médico de urgência se necessário: 

Não tenha medo. Os profissionais estão preparados para atendê-lo, e casos respiratórios suspeitos são isolados logo na chegada, diminuindo o risco para os demais. 

Enfrentemos, portanto, as próximas semanas com equilíbrio e responsabilidade. Compartilhe suas dificuldades e tire suas dúvidas com profissionais de sua confiança. Cuide de sua saúde!

Sobre a campanha

Esta é a oitava fase da campanha “Só saia de casa pela sua saúde”, que iniciou em 12 de junho e tem como objetivo conscientizar médicos e a população sobre a importância da continuidade dos tratamentos e acompanhamento de pacientes mesmo durante a pandemia, assim como de buscar atendimento em caso de necessidade.

Confira as etapas anteriores:

1ª fase: Cardiologia 

2ª fase: Endocrinologia e Metabologia


3ª fase: Hansenologia

4ª fase: Pediatria


5ª fase: Ginecologia e Obstetrícia

6ª fase: Ciências Neurológicas


7ª fase: Reumatologia

Fonte: SBGG-PR com informações do CRM-PR

Seja o primeiro a comentar!
Escreva aqui seu comentário...